09/03/2020
SANEAMENTO

Receita da Iguá cresce 20,6% em 2019

A Iguá Saneamento registrou receita líquida de R$ 898,5 milhões em 2019, 20,6% superior em relação a 2018, quando a companhia obteve R$ 744,9 milhões. Em seu segundo ano de operação sob a gestão da IG4 Capital, a empresa manteve o ritmo de investimentos, totalizando R$ 373,4 milhões, 31% acima do realizado no ano anterior.

O Ebitda ajustado alcançou R$ 288,4 milhões em 2019, um crescimento de 12,8% na comparação com o ano anterior e uma margem de 45,4%. O lucro bruto da companha atingiu R$ 318,2 milhões, 6,9% a mais que o registrado em 2018, enquanto o resultado líquido ficou em R$ 44,724 milhões, uma alta de 152,50%.

O índice de alavancagem, medido pela relação entre dívida liquida/Ebitda, fechou o ano em 3,7X. Esse desempenho foi reconhecido pelo mercado financeiro ao longo do ano passado, traduzindo-se em novos desembolsos de financiamentos de cerca de R$ 320 milhões e em redução do custo médio da companhia em 20%. O endividamento de longo prazo da Iguá caiu 84% em 2019, o que contribuiu para a solidez da estrutura de capital e flexibilidade financeira da empresa, essenciais para suportar o plano de investimentos da Iguá – que já soma aproximadamente R$ 700 milhões nos últimos dois anos.

Em 2019, a Iguá concluiu e entregou cinco Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs), duas novas estações de tratamento de água (ETAs), 12 reservatórios e 31 estações elevatórias de esgoto (EEEs), além de executar 93 km de novas redes de água e 300 km de novas redes de esgoto, o que motivou a inclusão de 16 mil novas economias de água e 28 mil novas economias de esgoto.

O volume faturado de água registrou aumento de 3,2%, atingindo 81.250 m³ (2018, 78.708 m³). Já o volume faturado de esgoto apresentou crescimento de 9,6%, passando para 48.651 mil m³ (em 2018, esse indicador foi de 44.389 m³). 

Na área de sustentabilidade a Iguá definiu temas considerados essenciais para a realização das ações socioambientais em todas as suas unidades operacionais. Esses temas foram transformados em quatro eixos de atuação denominados SERR (Segurança Hídrica, Eficiência na Produção e Distribuição de Água, Responsabilidade na Coleta e Tratamento de Esgoto e Respeito às Pessoas).

Veja também